segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Quinto dia em Cusco - Viagem para Machu Picchu Pueblo

Hoje é um dia muito especial. Dia de ir para Machu Picchu Pueblo. Tomamos café no hotel e fizemos o checkout. Os meninos do hotel ficaram tristes porque não ficaríamos ali na volta (até a gente ficou triste hahaha). Na voltar a gente já tinha reservado um hostel ali na região. Os meninos deram várias dicas pra gente, pra cuidar da nossa mala, porque em hostel não tinha tanto cuidado, como em hotel e tudo mais. Mas, a gente pegou um hostel com uma nota bem boa, já pensando nisso (e no conforto, claro hehe).



Como o trem para machu picchu não aceita bagagens grandes, deixamos as malas no Hostel e ficamos apenas com as mochilas. Quando fizerem isso, peçam um papel que comprove que eles ficaram com suas malas, por garantia. Nós ficamos no Hostel El Triunfo (vou falar mais sobre ele no post que falo da volta para Cusco).



Meu amigo havia pegado o contato de um motorista no aeroporto, que fazia serviço de transfer em Cusco. A gente enviou uma mensagem para ele, perguntando quanto ele cobraria para nos levar até Ollanta, de onde sairia nosso trem. Comparamos os valores entre o serviço da TaxiDatum e uber. E o melhor preço foi com o motorista, se não me engano a gente pagou 100 soles pela corrida (Ollanta fica a cerca de 2h de Cusco).

Saímos as 9:30 de Cusco, pois nosso trem era as 12:50. Chegamos na estação de Ollanta e aproveitamos para fazer um lanche em uma lanchonete chamada Tawas, ao lado da estação.

Pedimos bebidas, pãozinho de alho, truta, batata frita e Tekeños, que era tipo um pastelzinho de queijo com guacamole. Era tudo bem esquisito hahahaha. Mas, era o que tinha.



Quando deu a hora do nosso trem, fomos até a estação. A sala de embarque estava em reforma, sorte que chegamos junto com o trem, porque o sol estava forte. Nós fomos de PeruRail, no trem Expedition (o mais simples), em uma promoção cada trecho saiu por cerca de 50 dolares por pessoa. De Ollanta até Machu Picchu Pueblo (aguas calientes) são cerca de 1h30. O trem é bem legal, as poltronas são ótimas e ainda tem lanchinho. Ele tem janelas panorâmicas e a vista até o destino é incrível, por isso, vale a pena fazer pelo menos um trecho (ida ou volta) durante o dia.




Chegamos na estação e um funcionário do nosso hotel estava nos esperando. Ele veio nos buscar a pé mesmo porque lá é tudo perto. Precisa subir um morro pra chegar no hotel, mas, não é nada muito desgastante, até porque Machu Picchu fica bem mais baixo que Cusco.

Ficamos no hotel Taypilaka, o atendimento é muito bom e o hotel é uma delícia. Ele fica ao lado do rio urubamba, então ficar aquele barulho de água ao fundo, hmmmm. E a aparência do quarto do hotel lembra uma casa de praia. Um ponto que talvez seja negativo para algumas pessoas é que a noite é um pouco barulhento por conta de uns barzinhos que ficam logo embaixo do hotel.



Deixamos as malas, relaxamos um pouco e descemos para passear pela cidade. É uma micro cidade, da pra fazer tudo a pé em 30 minutos hehehe. Descemos em direção a estação de trem e demos uma volta da feira de artesanato (é gigante e tem as mesmas coisas que tem em Cusco com pouca variação de preço).



Aproveitamos para comprar os tickets de ônibus para subir para machu picchu (recomendo que comprei um dia antes, porque no dia a fila é imensa, falo sobre isso daqui a pouco). Para encontrar o ponto onde se compra os tickets, é só descer a rua que margeia o rio, até próximo ao trilho de trem. Fica nessa rua mesmo. O ônibus se pega ali também.



Na continuação dessa rua, tem um monumento em homenagem a Pachacuteq e a trindade inka e mais abaixo tem um caminho que leva até um museu, mas, nós não fomos.

Subimos pelo outro lado, fomos até a praça, onde tem uma igreja e o ministério da cultura (chegamos nesse lugar sem querer hahaha). Mas, é bem legal, vale a visita.

Depois, fomos jantar no Índio Feliz, que é um restaurante bem legal com comida variada. O interessante é pegar o combo com entrada, prato principal e sobremesa. E recomendo que faça reserva, porque é bem disputado.







Nele inteiro tem dinheiro e outros papeis pregados nas paredes com nome de pessoas que passaram por ali, deixamos o nosso também bem na porta, procurem lá hehehe.



Eu pedi uma sopa de entrada, uma truta com batata doce de prato principal e um mousse de chocolate de sobremesa. Estava tudo bem gostoso. Mas, é bem caro. Tudo bem mais caro do que em Cusco.

Subimos uma ruazinha cheia de barzinhos e restaurantes que termina no nosso hotel. E fomos descansar, o dia seguinte vai ser muito especial.

Um beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...