quinta-feira, 6 de julho de 2017

Crise dos 30 (parte 1)

Resolvi parar para estudar um pouco do universo estendido dessa tal crise dos 30. Cheguei a conclusão de que, dos amigos "quase trintando" que eu conheço, posso contar nos dedos de apenas uma mão aqueles que estão realmente satisfeito com o caminho trilhado até aqui e empolgados com o que vem pela frente.

Bem, eu não me incluo nessa conta.



A crise dos 30 não passa de um turbilhão de cobranças que a gente sofre diariamente. Já casou? Tem filhos? Alcançou sucesso na carreira? Tem casa? Tem carro? Viaja? Tem um corpo legal? Tem um cabelo legal? Fala inglês? A gente se cobra, o mundo cobra a gente e isso tudo vira um sofrimento incansável atrás da vida perfeita... Que, convenhamos... Não existe.

Onde fico eu nisso tudo?

Se você acredita na regência dos signos sobre a nossa personalidade, saiba que eu sou uma mistura muito peculiar de Virgem com ascendente em Libra: perfeitamente insegura.

Meu noivo costuma me rotular de "pato". Porque um pato é assim: nada mais ou menos, anda mais ou menos e voa mais ou mesmo. Essa analogia, trazida pra vida real (mais especificamente a minha vida) seria mais ou menos assim: Eu tento fazer tudo ao mesmo tempo, justamente por não saber o que quero. Então: quero falar espanhol, ingles, francês, alemão e italiano ao mesmo tempo. Quero manter um blog, ser fitness, ter vida social, correr uma maratona, tocar violão, ser cozinheira, veterinária, designer de interiores, escritora, costureira... ufa! Resumindo, não faço nada bem, como vocês já devem ter imaginado.

Mas eu cheguei a (mais uma) conclusão de que essa mistura doida de coisas, de planos, de sonhos, de altos e baixos, isso tudo sou eu, minha marca registrada, minha definição. A minha palavra, como diz na minha biografia aqui no blog, é: versátil.

Eu, simplesmente, não consigo gostar de apenas uma coisa. Já tentei focar em uma coisa... Mas, vejam só, eu não tenho foco hahahaha.

Sabe quando você vai numa festa de aniversário e quer comer uma coxinha e um brigadeiro ao mesmo tempo porque não consegue decidir entre doce e salgado? Pois é, essa sou eu na festa da vida hahahaha.

E por ser assim, eu sofro. Claro. Tenho um milhão de planos inacabados. Aí "os trinta" vão chegando, como uma daquelas ondas que a gente não consegue pular e nos dá aquele caldo.

Como posso chegar aqui sem saber quem eu sou? O que sou? E onde vou? Não... chega.... vou tomar as rédeas da minha vida: Sonhos loucos... aí vou eu.

Aí eu descubro que além de indecisa, eu sou a rainha da procrastinação. Sou dessas que tem mil planos no papel e na hora de colocar tudo em prática eu... tiro uma sonequinha.

Começo o ano com uma lista gigante de "coisas para fazer", lista essa que já vem se arrastando desde 2002 e até agora nada hehehehe. Quando falta 1 mês pro natal tento enlouquecida recuperar o tempo perdido... por 30 minutos... depois procrastino mais um pouquinho hehehehe.

É um post de reclamação? É um post de reclamação. Mas, é a vida real. As vezes eu preciso falar em voz alta todas essas coisas para eu mesma enxergar o quão absurda é a situação que eu cheguei.

Aí você pensa: ai, você se cobra demais. Daí eu te respondo: Me cobro sim... Lembra da combinação virgem+libra?

Eu amo a vida. Acho a coisa mais linda e mais incrível que existe. Eu não gosto de perder tempo dormindo!!! Por isso que eu acho injusto desperdiçar um segundo se quer desse dom tão precioso.

E eu sei que não estou sozinha nesse quarto cheio de portas fechadas com um ponto de interrogação em cada uma delas. Mas, qual porta abrir?

Quer saber? Que tal ter menos medo e viver a vida mais leve... Sem se preocupar tanto? Quem ta afim de abrir uma porta dessas comigo?


Um beijo.

2 comentários:

  1. Me identifico totalmente com tudo que disse!!!
    Querer tudo, não fazer nada, não saber o que realmente quer e viver frustada...acho que é um mal da nossa geração! Nos cobramos demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isso mesmo :) que bom que não estou sozinha hehe

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...