quinta-feira, 8 de junho de 2017

Lendas e Histórias do Hawaii

Eu sou apaixonada pelo Havai, mesmo sem conhecer. E sou apaixonada pelo povo Havaiano, que tem a mesma origem do povo Maori (da Nova Zelândia) e o povo da Ilha de Páscoa. A história deles me fascina.

No Havai você começa e termina com "Aloha". É uma palavra tão carregada de significados. Não é um simples Ola ou Tchau. Ela significa amor, afeto e misericórdia. “Alo” quer dizer “presença”, e “ha” significa “respiração” – a presença da respiração, compartilhar boas energias. Aloha é um modo de vida.



O maravilhoso arquipélago possui vegetação tropical verdejante, maravilhas naturais intocadas e mar azul-turquesa com o qual nenhum outro destino no mundo se compara.



Todo havaiano tem noção de quão abençoado é. A gratidão é o elemento fundamental em seu coração.

Assim que você chega no Havai, é recebido com um colar de flores, símbolo de boas vindas.

Em vários pontos da cidade é possível assistir as Havaianas dançando a Hula, os movimentos da dança reproduzem a natura, o balanço das arvores, ondas no mar, etc. Os cantos acompanham o dançarino e ajudam a contar a história. Para ambos, antigos e modernos havaianos, a Hula é a própria essência da vida. Ela faz uma ligação com o universo e faz deles único com toda a criação.

Algumas palavras havaianas:

- shaka: hang loose
- mahalo: obrigada
- ohana: familia
- moana: mar

Uma pratica comum aos havaianos é o “Holoholo” que significa sair de casa por simples curtição. Quando foi a última vez que você foi passear a pé só pela diversão, que assistiu ao pôr do sol ou simplesmente ficou sentado em silêncio em sua praia favorita?

A flor de hibisco amarela é símbolo do Havai. Essa flor é colocada nos colares de boas vindas, tem também significado de realeza, e é facilmente visto atras da orelha das mulheres (se uma mulher a usasse na orelha direita, significava que estava solteira. Caso usasse na esquerda, estava comprometida).

Os havaianos veneram vários deuses e contam várias lendas a partir disso. Dentre os deuses mais venerados, estão:

Wakea: do céu
Kane: da luz, vida, água
Lono: da fertilidade da terra
Kü: da guerra, coragem
Kanaloa: mar
Laka: Deusa matriarca do Hula, viajou para todas as ilhas para compartilhar o dom de Hula, ela ensinou Lohi’au, o belo chefe de Kaua’i e Hõpoe que foi kumu de Hi’iaka.

Lenda da deusa Pele:

Ela é a deusa dos vulcoes, vive no Kilauea, é severa e caprichosa. Nasceu em honua-mea, parte do Tahiti. Fazia parte de uma família de seis filhas e sete filhos de Haumea (antiga deusa da terra) e Kane Milohai (criador do ceu e da terra). Foi exilada pelo pai por conta de seu temperamento, e por brigar com sua irmã mais velha Namakaokahai (deusa da agua), cujo marido Pele tinha seduzido.

O deus dos tubarões, irmão mais velho de Pele, Kamohoali'i, deu uma grande canoa para Pele e sua irmã Hi'iaka (padroeira das dançarinas de hula) e elas viajaram para longe no oceano até chegar no hawai.

Sempre que Pele achava um lugar para morar, ela criava um vulcão e sua irmã mais velha, por vingança, o afundava. Ela batia o pé, fazendo com que a terra tremesse e formasse, assim, uma nova ilha. Até um dia em que elas lutaram e Pele matou sua irmã, diz a lenda que os ossos da Deusa continuam perto de Hana, Maui em forma da colina Ka-iwi-o-Pele.

Depois disso, Pele finalmente encontrou refugio em mauna kea, na cratera halemaumau, onde vive ate hoje.





Os havaianos costumam dizer, que se pode ver Pele nadando na alaranjada lava incandescente. Para os incrédulos, eles mostram fios de cabelo de Pele encrustados em porções de lavas endurecida. No Havai tem um ditado que diz: Cuidado com as velhas, pois uma delas pode ser Pele!

Conta uma lenda que um grande chefe chamado Kaha-Wali gostava de andar de trenó. Com falta de neve por perto, somente existente em picos quase inacessíveis do Mauna Loa e Mauna Kea, os havaianos divertiam-se deslizando nas íngremes encostas cobertas de grama seca. Usando trenós compridos e estreitos, com lâmina de madeira de lei envernizada, atingiam grande velocidade chegando a chamuscar a grama. Um dia, quando Kaha-Wali se divertia no Kilauea, aproximou-se uma mulher feia e velha que lhe pediu o trenó .

Imprudentemente, Kaha Wali negou-se, sem saber que ela era Pele, a Deusa dos Vulcões. Pele gostava de andar entre os mortais como uma anciã. sem saber, Kaha-Wali ao desprezar o pedido de Pele, a enfureceu.

Os olhos de Pele transformaram-se em brasas e seus cabelos em labaredas. Expressando sua raiva bateu o pé no chão abrindo uma fenda por onde jorrou lava. Kawa-Wali meteu-se no trenó e desceu a encosta como um louco, perseguido por torrentes de lava derretida comandadas por Pele. Quando o trenó perdeu o impulso, se pôs de pé e correu em direção ao oceano. No caminho cruzou com sua mãe e gritou:

“Que a senhora receba o perdão, porque a morte deve estar a caminho. Pele vem devorando tudo !!!"

Depois encontrou sua esposa que lhe propôs para ficar com ela, para que morressem juntos. Kala-Wali agradeceu, mas, continuou correndo.

Passou por seu porquinho de estimação, chamado Aloi-puaa, parou para saudá-lo com um afago esfregando seu nariz em seu focinho, mas, não demorou. A um passo na frente da lava, chegou até a praia, pulou em sua canoa e salvou-se, enquanto Pele furiosa atirava-lhe pedras.

Quando os visitantes incrédulos escutam estas lendas, os havaianos em resposta mostram a colina exata onde havia ocorrido o incidente. Uma cratera negra e sombria de cerca de 30 metros de altura, com uma rachadura na borda da face em direção ao mar, onde se nota a corrente de lava dos vulcões.

Além da mãe, esposa e porquinho de Kawa-Wali transformados em pedra pela lava, em uma baia pode-se ver enormes pedras. Esta é maneira folclórica que revela através a forma simples do povo havaiano de interpretar e retraçar fatos, mitos e lendas e a formação das ilhas e vulcões.

Não vejo a hora de conhecer essa terra mágica e cheia de histórias.


Um beijo e aloha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...