sexta-feira, 30 de junho de 2017

Como é fazer um Cruzeiro pela Royal Caribbean (parte 3)

O terceiro dia de cruzeiro foi em alto mar. O que isso significa? Ficamos o dia todo revezando entre comer, assistir shows, piscina e comer de novo.

Quando eu subi no deck da piscina e vi aquele mundo de água, fiquei com um misto de maravilhada e assustada, não tinha nada além do navio, água, nuvens e horizonte. Assustador. Ainda bem que eu só assisti um programa de TV sobre panes em cruzeiros, depois de ter feito o cruzeiro hahaha.

Sobre o programa de TV: Tem navios que ficam sem energia elétrica por vários dias a deriva no oceano. Sabia que sem energia, nada funciona no navio? NADA! Sem banheiro, sem maneira de armazenar comida... Nada. Um navio no meio do nada. Medo hahahaha.

Eu sempre tomava café no Deck 16 e depois descia pra comer alguns donuts fresquinhos no deck 6 hahaha. Depois do café, fui pra piscina e foi na piscina que rolou o único estresse da viagem.

Estresse: Pessoas folgadas e egoístas existem no mundo todo, mas, acho que grande maioria estava ali na piscina daquele navio. Eles acordavam cedinho, pegavam toalhas e iam "reservando" as espreguiçadeiras mais bem localizadas. Depois, iam tomar café e deixavam ali as toalhas. Ou seja, 8 horas da manhã e já estavam todas ocupadas. Sério isso? Muito sério e conseguiu me tirar do sério, sério hahaha. Eu não quis puxar briga com gringo, mas, a vontade era de tirar todas aquelas toalhas, empilhar em um canto e escolher a espreguiçadeira que me desse na telha... Que história é essa de ficar reservando lugar????????? Só de lembrar já me da uma raivinha hahahaha, odeio gente folgada.



Enfim... Estresse a parte, peguei um lugar qualquer e fiquei aproveitando o sol, os drinks, sem preocupações.



Assistimos o desfile da Dreamworks que acontece no deck 5, comemos mais um pouco, claro hehehehe. Fizemos nosso almoço no deck 16 e comemos alguns petiscos em outros decks, pra não perder o costume.



Enquanto o Ronan descansava na cabine, eu fiquei um pouco mais na piscina e depois fui assistir ao show de patinação no gelo de Como Treinar seu dragão, uau, bem divertido.



E a noite, depois da jantar, fomos assistir ao musical da broadway Mama Mia. Gente, é lindo. Não percam por nada. Eu me arrependi de ter assistido só uma vez. É muito lindo mesmo.



Depois do show, comemos pizza hahahaha quando eu falo que eu só comi, é verdade. Não duvidem. Satisfeita, depois de um dia incrível, fomos dormir. No quarto já estava o nosso itinerário do dia seguinte e várias informações da ilha onde iríamos parar, dessa vez o nosso destino seria St. Thomas, uma ilha pirata muito visitada pelo temido Barba Negra.




O dia amanheceu e fomos cedinho tomar nosso café da manhã no deck 16. Quando chegamos lá em cima já estávamos em St. Martin. Tomamos o café e nos preparamos para descer na ilha.

No dia anterior eu fui conversar com o embaixador que falava português (que ficam em determinados horários disponíveis no deck 5 para tirar dúvidas) e perguntei onde ele indicava que fossemos conhecer. Ele nos indicou a Magens Bay, uma das praias mais bonitas do mundo.

Descemos do navio e fomos em direção aos "taxis", que são umas caminhonetes que carregam várias pessoas a vários destinos específicos. Pegamos um taxi para Magens Bay, como não tinha mais espaço, fomos na frente com o motorista.

Pensa num motorista doidão, todo contente, que ia falando no celular e dirigindo feito doido na mão inglesa, mas em um carro onde o motorista fica no lado esquerdo... confuso hahaha.

A praia que fomos fica do outro lado da ilha e precisa pagar 5 dólares por pessoa para acessar a praia e mais 10 dólares para o taxi.



E a praia? Maravilhosa, toda cercada por vegetação, ela é pequena, tem pouco comércio, bem aquele tipo de beleza quase intocada. Água cristalina, quentinha. Mas, estava bem cheia de turista, claro hehehe. De acordo com o taxista, chove todos os dias na ilha, e naquele dia deu uma garoinha fininha, que logo passou e o céu já ficou azul de novo.

No fim do dia, pegamos o taxi e voltamos para o porto. Lá passeamos pelas lojas, onde vende lembrancinhas, rum de verdade e pedras preciosas a preços muito atrativos. Nós compramos lembrancinhas e voltamos para o navio.



O legal da Royal é que sempre tem uma recepção na entrada do navio, com água e tudo mais. E a segurança é bem forte. Checam nossos cartões várias vezes e, se ficam com duvida, pedem nosso passaporte.

Eu já estava morrendo de fome, como sempre. Jantamos, comemos lanches, naquele estilo rodízio de restaurantes hahaha. Depois fomos tentar a sorte no cassino. Eu havia ganhado uns dólares pra jogar, a gente triplicou o que ganhei, depois perdemos tudo hahaha.



E por fim, fomos em várias baladinhas que estavam acontecendo no navio. Uma mais cafona que a outra hahaha. Ronan não quis ir nas baladas de boas vindas, e de tanto eu infernizar a vida dele, ele topou em ir em umas outras que estavam acontecendo nesse dia, mas eram ruins demais hahahaha. Daí aproveitamos para descansar, afinal, no dia seguinte era dia de mais uma ilha.


Um beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...