quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Um dia de muita neve em Farellones

Hoje, no diário de bordo sobre a viagem pro Chile, temos um passeio inesquecível com muita neve em Farellones. Farellones é uma estação de esqui pertinho do Valle Nevado, e fica a cerca de 40km de Santiago.

Se está em Santiago no inverno e quer uma opção de neve por perto, Farellones é, com certeza o lugar certo.



Eu pesquisei na internet um transfer para subir Valle Nevado e Farellones, e o mais indicado foi o Snowtours. Os brasileiros adoram porque tem atendimento em português.

Por conta da nevasca, o Valle Nevado estava fechado, então fomos só para Farellones. Como eu reservei pela internet, tive que pagar um valor para garantir a reserva (10 dólares por passeio). Cada passeio custa 26 dólares por pessoa. 

O brasileiro, responsável pela agência, me enviou mensagens por whatsapp combinando o passeio. E as 6:40 a gente estava pronto, esperando na recepção. Logo ele apareceu, com uns minutos de atraso, para nos levar a agência (que ficava umas duas quadras do apartamento). Quando eu olhei para ele, disse pro meu noivo: Parece aquele cara do episódio sobre Santiago no Mundo segundo os brasileiros, né?. Aí meu noivo comentou com ele, e ele disse: Sim, sou eu mesmo. hahahahaha. Que coincidência. Eu e meu noivo somos viciados nesse seriado. E inclusive assistimos o episódio de Santiago duas vezes para anotar as dicas.

Depois de todos embarcados na van, fomos até uma loja onde alugamos roupa de neve. Eu e o Ronan alugamos somente a calça. Foi 8 mil por pessoa (eita calça cara). Mas, se você não possui roupas adequadas para neve, eu recomendo que alugue. Eu fiz um post há um tempo atras onde falava sobre o que levar para Bariloche, acho que cabe aqui também.

A agência Snowtour: A agência é excelente, pessoal preparado e organizado. Ganha pontos positivos com brasileiros por terem atendimento em Português. A agência fica do lado do cerro Santa Lucia, bem localizado e de fácil acesso. Eu recomendo que façam o passeio em Santiago com eles. A título de informação: Um dia antes de subirmos a montanha, houve uma nevasca e vários turistas foram deixados la em cima por suas respectivas empresas de turismo. A snowtours foi uma das empresas que ajudou a descer essas pessoas que estavam presas la. Acho que aí eles já ganham alguns pontinhos de confiança, não é?

A subida até as estações de esqui é beeeeeeeemmmmm difícil. Eu não recomendo que seja feita por conta. São 30 curvas cotovelo. Cotovelo? Como assim? Quando eu li isso em um outro relato, achei que fosse exagero. Mas, não é! As curvas são extremamente fechadas, ao lado de um penhasco e com muita neve na estrada (uso obrigatório de cadenas/correntes). A não ser que você esteja com um carro bom, saiba dirigir na neve, com correntes e seja experiente nesse tipo de terreno, eu recomendo você ir com uma empresa de turismo.



Ah, e se você enjoa fácil, tome remédio. Senão vai botar os bofes pra fora. Na descida eu passei mal, mas, não cheguei a vomitar. Porém, um dos passageiros vomitou.

Chegamos em Farellones com muita neve. Marcamos um horário e um ponto de encontro com o motorista, e fomos aproveitar o dia. Chegamos la era umas 10 horas da manhã, talvez um pouco mais, perto das 11. E marcamos pra descer as 15:30.

Fomos direto tomar um café em uma cafeteria que existe la em cima, a El Montañes (deve imaginar o preço exorbitante que cobram pelo chocolate quente, certo?). 6 empanadas de queijo (tipo um pastel) e 2 chocolates quentes saíram 6000 pesos.



Caminhamos por la, com muita neve caindo. Brincamos, tiramos muitas fotos e depois descemos o teleférico até uma outra parte da estação. O teleférico custou 8000 pesos por pessoa.



A descida é bem grande. Tinha muita neve caindo, estava muito frito e ventava bastante. Passamos muito frio nesse percurso hehehehe. Mas vale a pena. La embaixo a gente caminhou com neve na altura dos joelhos. Uma experiência única, nunca havia visto tanta neve assim.



Tomamos mais um chocolate quente  (4000 pesos por 2 chocolates) depois de muitas fotos e brincadeiras na neve, subimos o teleférico. A subida foi bem mais tranquila, sem neve e sem vento.

Nessa estação de esqui se pode esquiar, fazer tirolesa, andar de trenó e descer de tubbing (bóia). Porém, por conta do mal tempo, só o teleférico e o esqui estavam funcionado.

Gente, o Chile, assim como a Argentina é cheio de cachorros gigantes, peludos, gordos e queridos. Todo mundo lá adora eles, são super bem tratados. Você vê poucos cachorros magros ou mal cuidados. Tem vários pontos com casinha e comida para os cachorros de rua. E eles estão por toda parte. Inclusive em cima da montanha. E eles são tão lindos brincando um com o outro na neve. Eles pulam, comem neve, rolam e fazem muita palhaçada. E claro, encantam os turistas.


Eu imaginava que nessas montanhas ia encontrar só Chilenos e Brasileiros. Mas, me surpreendi com a quantidade de línguas que escutei por la. Muitos turistas gringos vem dos EUA e Europa para conhecer as terras chilenas. Adorei isso.



As 16 horas chegou nossa carona. A gente já estava prestes a congelar hehehehe, cansados e felizes, voltamos para Santiago.

Chegamos exaustos e felizes no apartamento. Relaxamos um pouco e a noite fomos jantar em um restaurante italiano que era ali pela redondeza. Achei ele no google maps e ele tinha uma boa reputação. Vamos comer MASSA.

O restaurante italiano chama-se Squadritto. Fomos atendidos por um garçom, que fala português, muito simpático chamado Luis (ou Luiz, ou ainda Louis). Luis trabalhou durante algum tempo em cruzeiro que fazia toda a costa do Brasil, além de ter avós de descendência portuguesa (o que explica o sotaque de português de Portugal hehe).

Ele esteve recentemente no Brasil, mais precisamente em Salvador, e disse não ter gostado da comida e nem do transporte público. Se forem nesse restaurante, pergunte pelo Luis que é muito gente boa. Inclusive, um dos pratos ele foi bem sincero em dizer que não era muito bom hehehehe e nos recomendou outro.



Eu pedi um fettucine feito com tinta de lula, a massa fica com uma coloração negra, bem lindo e saboroso, junto vinha salmão e frutos do mar. De sobremesa eu pedi um tiramissú delicioso. O Ronan pediu uma carne com uma lasanha de beringela e um mousse de chocolate de sobremesa. Também pedimos um vinho carmenere e uma água pra acompanhar. Tudo saiu por volta de 40 mil pesos.




Não perca os próximos dias da nossa aventura chilena.


7 comentários:

  1. Oi amiga, eu e minha esposa adoramos seu post, e queríamos saber quantos pesos está valendo R$1 ?
    Aguardando mais notícias

    ResponderExcluir
  2. Oi Roque, obrigada por visitar o blog. Fico feliz que tenham gostado. Na época da minha viagem eu paguei 180 pesos 1 real. Porém, com a desvalorização do real, a última cotação que eu vi foi 140 pesos 1 real. Espero ter ajudado.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Amei seu site, estou programando minha viagem ao Chile e ele está sendo muito útil, obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Verônica, você vai amar o Chile, depois me conta como foi sua viagem. Ah, que bom que gostou do blog, qualquer dúvida me fala... Beijos.

      Excluir
  4. Oiiii...irei em agosto de 2017...estou querendo levar pesos e real... acha q passarei bem?!

    ResponderExcluir
  5. Oiii você vai amar! Eu levei tudo em pesos e foi tudo tranquilo. Poucos lugares me cobraram em dólar. Beijos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...