quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Morar em São Paulo - Adaptação

Mudar nunca é fácil. Seja de estilo, de escola, de penteado, seja de cidade, de estado, de país. Toda mudança gera um certa insegurança. Ninguém quer sair de sua zona de conforto: Aqui tá quentinho.

Pois bem, deixei meu cafofo quentinho pela fria São Paulo, com meu noivo.


Tudo bem que a gente tinha vários conhecidos que nos deram apoio e talz. Mas, não tínhamos nossos papais pra limparem nosso popô, nem pra passarem a mão na cabeça quando a barriga doía. E olha que a minha barriga doeu.

Mas enfim, foi nossa escolha. Optamos por deixar o casulo e criamos asas.

Sair de uma cidade com 600 mil habitantes pra uma cidade onde o bairro que eu moro tem mais habitantes que isso, é complicado. Posso dizer que, em certos aspectos, eu ainda não me adaptei.

Depois de chingar, me frustrar, enumerar defeitos, ufa! Fui fisgada pela loucura de São Paulo. E, mesmo não querendo morar aqui pra sempre, posso dizer que não sei se quero morar em Joinville de novo.

A fase de adaptação foi muito além de casa e trabalho novo. Foi tudo: sotaque, gírias, cores, lixo na rua, cocô na rua, terno e gravata, ar seco, piscina em casa, shopping pra todo lado, restaurante 24hr, metrô, fila, trânsito, eventos, shows, teatro. Enfim, tudo.

Aqui não tem padaria, tem padoka. Aqui o Ronan é Ronanzera. Cara é mano. Bugado e bizarro é zuado. As palavras que finalizam em "ndo" agora é apenas "no" (brincano, zuano, cantano). Dez reais é déreais e trinta reais é tlinta leais.

E o que antes era 15 dias aqui e um final de semana em Joinville, se tornou 2 meses aqui e um final de semana em Joinville.

Mesmo todo mundo apresentando uma certa resistência em mudar. A gente sempre se acostuma no final e pensa: por que demorei tanto? Mudar é bom afinal de contas.

A nossa vida é uma série de: mudar, sofrer, adaptar, repetir. Sempre que eu me adapto, já começo a procurar algo pra mudar de novo. E assim vai. Eu xingo, mas, no fundo, eu goXXXto.

Resumindo: me adaptei e descobri que mesmo depois de 3 anos aqui é impossível conhecer tudo, acompanhar todos os eventos, saber de tudo. Em Joinville eu assistia todos os filmes em cartaz, aqui não da tempo de ver todos os que eu gostaria.

O que eu quero dizer é o seguinte: se você não está feliz onde está, não tenha medo de mudar. A nossa natureza é essa. Não fomos feitos para ficar no mesmo lugar, vivendo uma rotina que é confortável mais não nos faz feliz. Você não é uma árvore. Levante e vá viver.

Talvez você não precise trocar de cidade como eu, ou de emprego. Talvez te baste um novo visual, um novo caminho pra fazer aquele trajeto diário ou apenas uma nova maneira de ver as coisas.

Quanto mais perto você estiver, menos você vê. Sabe quando você tem que resolver algo e não consegue, aí vem alguém e resolve em 20 segundos? Tente dar dois passos pra trás, você vai enxergar melhor a situação. Veja tudo como se fosse a primeira vez, e viva como se fosse a última.


Um beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...