domingo, 2 de novembro de 2014

O segredo para ser feliz

Eu acho que posso contar nos dedos de uma mão, pessoas que eu conheço e que são realmente felizes e satisfeitos com seu trabalho e sua vida. Então eu parei para pensar: Por que?



Essa pergunta fica rodeando meus pensamentos na busca do uma resposta. Por que existe tanta gente infeliz profissionalmente. Alias, não somente profissionalmente, afinal, não tem como separar "sou feliz em casa, mas infeliz no trabalho", isso reflete em ambos os lados.

E com base nessa pergunta eu iniciei uma pesquisa. Fui atras de pessoas que são realmente felizes no que fazem, para entender a diferença delas para o resto das pessoas.

Eu sou mais uma dessas pessoas infelizes, em busca de uma resposta e uma saída. Eu me sinto frustada em acordar todas as manhãs incomodada em ter que ir ao trabalho, durante um ano inteiro, por 15 dias de férias. Não gosto de não gostar das segundas-feiras, não gosto de ter que esperar pela sexta-feira. Comecei a sentir um aperto, como se eu tivesse desperdiçando meu tempo, um grito abafado no peito.

Eu queria, com essa pesquisa, encontrar uma maneira de viver sextas-feiras e finais de semanas em todos os dias. Parar de me sentir um espectador da minha própria vida. Parar de sentir como se eu estivesse esperando minha vida começar.

E foi aí que eu comecei a descobrir a diferença entre as pessoas realizadas e as frustradas. Essa transição, para mim que estou do lado dos frustrados, está parecendo muito difícil. Mas, o resultado é tão prazeroso que eu estou pensando, seriamente, em testar.

Então, eu reuni uma lista de coisas que eu identifiquei em comum nos dois lados.

Lado frustrado:

- Reclama de tudo
- Está quase sempre infeliz
- Odeia segunda-feira
- Conta os minutos para as 18h da sexta-feira
- Fica sonhando com o que terá daqui alguns anos
- Fica sonhando com as férias
- Trabalha exclusivamente pelo dinheiro e pelas coisas que ele pode pagar

Lado feliz:

- Vê oportunidade ao invés de problema
- Está sempre feliz e otimista
- Adora as segundas, terças, enfim, adora todos os dias como o final de semana
- Está sempre entusiasmado e cheio de ideias
- Seu trabalho é seu hobby, independente do retorno financeiro
- Vive com pouco e agradece por tudo o que tem
- Para ele é mais importante ser do que ter

Assisti vários vídeos, li vários depoimentos, na esperança de encontrar em algum deles uma receita para essa felicidade. Bom, uma receitinha pronta não existe. Mas, existe um padrão. E acho que já é um começo para ser colocado em prática.

Os primeiros passos para ser feliz é responder as perguntas abaixo:

- Qual seu hobby? Aquilo que você faz por prazer, quando não precisa fazer nada.
- O que você faria, se pudesse fazer qualquer coisa (independente de dinheiro e responsabilidades financeiras)
- Quais são os seus talentos? O que você faz por prazer e com muita facilidade. Aquilo que você faz e as pessoas dizem: puxa, você é bom nisso!
- Quais são os seus sonhos? Faça uma lista com 10 sonhos, por mais absurdos que sejam.

Eu empaquei já no primeiro passo, vou ser sincera. E, não sei quais são meus talentos. Mas o engraçado é que, tendo essas questões em mente, eu comecei a prestar a atenção, comecei a tentar me conhecer melhor. Acho que comecei a escutar esse sussurro do meu coração, e aos poucos vou entender o que ele quer.

Para te ajudar a desempacar, você partir do princípio oposto, se perguntando:

- O que eu não quero fazer.
- Onde eu não quero estar.

Saber o que não se quer, já é um grande passo para descobrir o que realmente se quer.

E, assim que você souber as respostas dessas quatro perguntas, eu te garanto que você vai saber o que fazer para sair do lado dos frustrados e começar a ser feliz de verdade, todos os dias da semana. E aí, vai te bastar coragem, para largar tudo o que você acha que sabe, para se tornar aquilo que você realmente é.

Eu saí perguntando para pessoas que me conhecem desde bebê e que acompanharam a minha infância para que me dissessem no que eu era boa, qual era o meu talento. Tive algumas respostas, algumas até bem surpreendentes hehe. Mas ainda não era aquilo. E, por fim, o meu noivo disse: "Você é boa em deixar os outros pra baixo com esse seu papo. " Eu pensei um pouco e respondi: "Eu não deixo vocês pra baixo, eu mostro o quão baixo isso é." hehe profundo.

E agora veja alguns exemplos de pessoas que são muito mais do que simples espectadoras de duas próprias vidas, e que são verdadeiros exemplos a serem seguidos:



Um beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...